terça-feira, 30 de abril de 2013

Subtileza do olhar


Observa toda a subtileza de gestos. Cada rumo que se altera, cada passo falhado e cada acertado, cada avanço que dás sem fraquejar, cada fraqueza que ultrapassas sem o demonstrar. Observa. Observa as palavras que não devias ter dito e as que disseste sem pensar. Oh, mas as palavras não as podes observar... Então ouve-as, ouve a marca que deixaram na alma ou simplesmente o som que permanece nas partículas do ar. Inspira, expira. Levanta o olhar, observa tudo em redor e de novo foca-te em direcção aos passos, porque esses...  Ah desses não te podes soltar.
Mantém-te firme, confiante para onde vais, ou então deixa-te simplesmente ir, para onde tiveres que ir, se tiveres que ir e por alguma ou nenhuma razão. Mas vai. Não pares, porque o tempo passa mesmo que não o observes de todo a passar, mas tu sentes, pressentes... vês e não vês ao mesmo tempo. Tens os olhos abertos?
Oh passa a mão pelo baú, recorda as recordações. Passa a mão pelo piano. Ainda te lembras como te soavam bem até mesmo as notas erradas? Oh e encontras aquele peluche preferido bem num cantinho protegido pelos restantes, a foto que sempre te fez desabar de emoções e a primeira carta de amor que recebeste. E sorris. Estás agora sentada a ver o álbum de fotografias e vês-te lá, tal como se um momento presente fosse. Viajas no tempo e por momentos encontras as pessoas que perdeste, vê-las perto de ti e sentes um conforto tão aconchegante como sentias aos 4 anos quando pedias colo ou um abraço a alguém que gostavas.
Oh e acordas subtilmente de um sonho e agora sim, agora já tens os olhos abertos. Abertos para o mundo. Não os feches tantas vezes, porque o que te inspira apesar de estar dentro daquilo que és, não depende só disso. Agarra-te a ti mas abre os olhos. Porque ah, ainda mais subtil do que todos os gestos, todas as sensações e recordações é a tua expressão do olhar.

6 comentários:

Sentimentos Incontrolados disse...

É só um capítulo, duas partes, que falta não é?
Fico à espera :)

Sentimentos Incontrolados disse...

Divide. Se foi sempre assim, acho que devia terminar da mesma forma. Até porque é essa a piada da história. Haver o lado "dela" e "dele" em separado.

Sofia Duarte disse...

Eu adoro-a, é mesmo muito bonita :)

Sofia Duarte disse...

Eu adoro-a, é mesmo muito bonita :)

Maggie Hippie disse...

aaaw, obrigada ! ainda bem que adoras :)
gostas deste tema?*

Maggie Hippie disse...

oh que bom! já conhecias alguma coisa sobre isto antes?