sábado, 29 de março de 2014

''Escava o poço antes que tenhas sede''


''Escava o poço antes que tenhas sede'' é um ditado chinês e, curiosamente, a primeira vez que ouvi algo relativamente a ele - de forma indireta - foi numa conferência na minha faculdade, onde falou o professor Carvalho Guerra que, para quem não sabe, é o Presidente da Comissão Administrativa do Centro Regional do Porto da Universidade Católica Portuguesa. Desde então, tenho vindo a reflectir sobre as palavras deste grande senhor e decidi falar-vos sobre este tão simples ditado, que pode e diz tanto sobre a nossa vida.
A verdade é que podemos aplica-lo diretamente a diversos momentos, pois não só devemos escavar sobre perspectivas, como também preparar o terreno, prevenir o nosso futuro, mesmo que este esteja ainda coberto por uma grande névoa ou a uma distancia incalculável. Já pensaram na quantidade de vezes que estagnamos? Ou que permanecemos tempos infindáveis com sede, porque não soubemos prevenir, ou porque pensamos que ''só acontece aos outros''? Podemos dar um exemplo muito simples do campo da saúde. Por exemplo, quando nos descuidamos, não ligamos a sintomas que podem dizer respeito a algo grave e afins, ou quando nos doí algo  e dizemos para nós que vai passar. Estas atitudes irreflectidas - mas comuns -, o achar que ''só os outros'' e ''nunca a nós'' leva-nos a pagar bem caro com as consequências.
Mas será que devemos escavar incessantemente? Ou antes fazer intervalos e mudar o local da escavação? Na minha opinião, devemos fazer intervalos enquanto mudamos o local da escavação, porque se insistirmos na mesma, podemos morrer igualmente de sede. Afinal, quem nos garante que ali exista agua?
Como dizia o professor Carvalho Guerra, até podemos ''escavar para encontrar agua, mas se encontrarmos petróleo morremos de sede'' na mesma, mesmo apesar da grandiosidade do achado. E disse-o, a meu entender, para nos mostrar que não podemos focar-nos apenas num único local, num único objectivo grandioso e que devemos abrir os horizontes, seguir varias vias, experimentar diferentes desvios no percurso, ''escavar diferentes poços'', no fundo arriscar


E vocês, o que acham? 

3 comentários:

Audrey Deal disse...

Eu acho que continuaria a escavação até encontrar algo, corria o risco de ficar com muita sede, mas sinceramente não sei. Gostei!

Cláudia S. Reis disse...

Acho que arriscar requer coragem e que todos nós deveríamos ter mais coragem!!!

disse...

Adorei isto e acho que esse provérbio tem tanto significado, como muitos provérbios chineses que transmitem tanta sabedoria. Isto diz-me que devemos lutar antes de começar a luta, que devemos sorrir antes de ouvir a piada, que devemos ser felizes antes que a vida acabe e não nos reste dias para sorrir. Que devemos ser corajosos para enfrentar o mundo de frente e para procurar-mos nele um consolo, antes que o único consolo seja chorar e dizer adeus.