sexta-feira, 17 de julho de 2015

Quando a saudade aperta


Quando sonhas acordado sabes que a saudade aperta. E sabes que a saudade aperta quando as vozes começam a desfazer-se no tempo, quando olhas para os dias, para as horas e consegues sentir no coração a distância que te separa de um instante. Sabes que a saudade aperta quando queres voltar atrás, quando relembras lembranças e sonhas com conversas passadas.
O pior da vida é perder. Perder aqueles que nos são queridos. Perder aqueles que têm o poder de nos colocar um sorriso no rosto, o poder de melhorar o dia com um conselho. A vida parece bem mais simples quando as temos do nosso lado, não é? Mas num instante, os instantes fogem-nos do controlo como água e a saudade começa a apertar. Sabes que a saudade vai apertar quando te tiram alguém de forma injusta.
A vida torna-nos mais fortes mas não nos torna invencíveis. Não somos fortes o suficiente para o vazio, para a ausência, para a perda. Não, não somos fortes o suficiente quando a saudade aperta. E quando a saudade aperta? Resta-nos sonhar acordados.

3 comentários:

Marisa Maria disse...

Resta-nos agarrar aqueles pedaços de memórias que tantos sorrisos nos deram e agora são os motivos das nossas saudades

Cláudia S. Reis disse...

Sonhar acordado é recordar os bons momentos. É matar as saudades.

Denise disse...

Adorei! E sabes que por vezes perdemos para podermos ganhar, tem esperança! A saudade é a prova de que, um dia, valeu a pena :) beijo no coração