sábado, 2 de junho de 2012

Ela e a laranjeira de algodão



Olha, bem no fundo perto da laranjeira. Daquela laranjeira ali que parece algodão, tão fofinha. Olha estou a ter uma visão. Tão pequenina e frágil, lá anda ela de um lado para outro. A inocência e a distracção corre-lhe pelas veias, o sorriso cobre-lhe a face bem redondinha e o seu coração palpita suavemente. O sol está encantado a olhar para ela, o céu abriu e as flores em conjunto com o vento cantaram. E ela acompanhando-os canta também e pede aos passarinhos para a ajudarem. É irrequieta, é natural, leve, simples. Não chora a não ser quando esmurra os joelhinhos. Ah, e ela adora o arco-íris, o vento, o mar, a laranjeira assim como o cor das laranjas. Veste liberdade, pinta-se de sorrisos e liberta-se de brincadeira. Aquela menina nunca sabe o gelado que escolher, as palavras que usar, o que vestir. É tão indecisa.

Ela acabou por subir para a árvore encostou-se a um tronco e...shuuu!! Cuidado, não façam barulho que a criança está a dormir.

Acordou, 17 anos depois no mesmo sítio e tudo tinha mudado. Ela agora tinha um toque refinado de impaciência e era perita em descontrolo emocional, o seu coração já acelerava, o sol já não se encantava como outrora, o céu já encobria e as flores o vento e os passarinhos não gostavam mais de cantar. Hoje o que outrora fora inocência nas veias substituía-se por astucia e cautela. Também tornou-se menos irrequieta apesar de continuar com o seu toque natural, tornou-se mais pesada de pensamento e consequentemente de liberdade já não se veste. Apesar de continuar a gostar de brincadeiras e adora pintar sorrisos parece que tirou férias de o fazer.
Mas o mais estranho de tudo é que ela continua a adorar o arco-íris, continua a admirar o vento o mar a laranjeira e até o cor das laranjas. Continua a ser mais indecisa que a indecisão e nunca sabe que gelado há-de comer, as palavras que usar ou o que vestir. Como ela continua indecisa. Ah e a laranjeira!! Essa continua fofinha como o algodão e excelente para um bom sono!
Bem, afinal nem tudo muda, afinal nem tudo é tão mau quanto parece. Afinal elas continuam as mesmas. Ela e a laranjeira de algodão.

3 comentários:

EBA ☮ disse...

temos de tentar aguentar :x

EBA ☮ disse...

eu cansei de tentar s:

Ana Margarida disse...

É, não é?