terça-feira, 26 de junho de 2012

''Eu posso, eu podia''




E eu posso ter mil e quinhentos defeitos para corrigir, posso ter milhões de desafios para enfrentar e infinitos caminhos para seguir. Posso pegar em asas e voar ou posso cingir-me a deixa-las no baú a apodrecer e ficar sentada a olhar as estrelas do céu. Oh e eu também posso para além de observa-las escolher tê-las para mim ou escolher oferece-las a quem merece e até a quem nunca as viu.
E eu posso ser quase tudo sem ter quase nada e vice-versa. E como de costume até posso complicar... Sabes? eu sou assim, inconstante, e num turbilhão de pensamentos.
Oh e eu posso cair e não me levantar, fugir e não voltar e até roubar-te o coração e recusar-me em volta-lo a dar.
 E as estrelas.... Elas são muitas, mas poucas valem, poucas têm brilho que encanta, que seduz. E para além disso a maioria delas já se reduziram a pó sufocante de más acções. E eu fui tapando os olhos para não os ferir com aquele pó, mas chegou a altura em que os destapei. E por fim decidi soprar uma ventania bem forte para levar os restos que sobravam delas, assim como restos de fotografias queimadas que lancei no mar. Ai e essa ventania também deu cabo de mim... Mandou embora  e também trouxe tempestades no meu coração. Sou complicada eu sei. Podia ser mais simples, podia nem querer saber, podia até ser perfeita ou simplesmente insensível. E eu podia ser  tanta coisa! E no meio de tantas coisas no final de contas a única coisa que quero é ser eu.

5 comentários:

Ana Margarida disse...

No fundo, o que tu queres é o mais importante. Não deixes os outros tornarem-te em alguém que, na realidade, não és.

Ana Margarida disse...

É isso mesmo. Só mudas, se deixares.

Inês Geraldes disse...

Oh obrigada, linda! E tu tens de ser tu... porque os outros não importam nunca!

Inês Geraldes disse...

Espero que não, também.

lu de lúcia disse...

acho que isto é o espelho daquilo que todos queremos ser :$
vou dar-te só um conselho, devias colocar as letras um número acima no tamanho, é difícil ler :$