quinta-feira, 28 de junho de 2012

Insegurança e Esperança



A insegurança corre-lhe pelas veias é um facto e outro é que lhe corre de uma forma bastante pausada, talvez para que doa mais, talvez para sofrer um pouco mais enquanto arrisca a tirar-lhe a respiração. Talvez. Sim é uma droga, daquelas perigosas, das que existem não porque se quer, mas porque acontece. Simplesmente acontece. E doi.
E lá vai ela com passos ligeiros que se opõe a tudo no seu interior, ou quase tudo. E ela sente a dor agora a percorrer-lhe todo o corpo de uma forma tão imutavel que não consegue evitar. E ela perde-se sem sequer dar um passo e ela descontrola-se sem motivo aparente.
Oh, e quando reparou já estava tão acostumada que não sabia onde estava, que fazia que pensava. Não, não é um vicio, não porque ela quer. Oh e como deseja que esta insegurança se vá embora e deixe de tornar o seu sangue assim frio, impuro. E que deixe também de a fazer tremer quando é desnecessario, e que desaparecendo a deixe acreditar em bonitas promessa de dedo mindinho e a deixe apreciar uma brisa fresca de primavera. Ah e esta droga está a destrui-la aos poucos e pode fazer com que perca tudo. E ela está a cair eu sei, consigo ver por entre este espaçamentos na parede, oh e a minha visão também esta turva e custa a ver. Mas eu sei, eu consigo ver daqui que ela fica sem forças sempre que aquele mal a absorve. E eu também não me consigo mexer. Não consigo passar por entre estas frinchas e estender a minha mão para salva-la. Correr e agarrar o que resta dela, fazê-la abrir os olhos. Esta parede não me deixar passar e por mais que eu berre para ela perceber, o som ecoa desta lado e não passa. E eu continuo aqui, num desespero frustrante em busca da cura para o que acontece no lado de lá, enquanto eu no lado de cá perco o animo aos poucos. Enquanto eu deste lado vou desistindo de ficar bem, enquanto eu deste lado... Enquanto eu, esperança, que estou deste lado transformo-me na sombra do outro. Oh e se isso acontecer não existe volta a dar. Eu sei. Porque se isto acontecer está tudo perdido.

9 comentários:

Inês Geraldes disse...

Tal como eu. Temos de pensar em nós :)

Inês Geraldes disse...

Completamente. Mas acho que conseguimos!

Márcia* disse...

esta perfeito este texto! (:

Ana Margarida disse...

Oh meu amor, obrigada, do coração, mesmo! E lembra-te: nada está perdido.

Inês Geraldes disse...

Temos de conseguir!

Ana Margarida disse...

Somos e acredita em mim.

Inês Geraldes disse...

Sim, e um dia tudo será como nós esperamos. Um dia.

ParadoxoSD disse...

Adorei este texto, encaixo-me aqui perfeitamente... parabens*

ParadoxoSD disse...

é mesmo... fica dificil lidar com isso. :/