terça-feira, 21 de agosto de 2012

Ele para ela & Ela para ele V (ele)







Foi nisto que ela me tornou. Em alguém com emoções fortes, descontrolado de sentimentos e ausente de palavras. Tornei-me assim o oposto do que era, do que sempre fui. Frio, distante, insensível. Agora aquecido de amor, perto de ti, perto de mim, e com sentimentos que desconheço.
Descobri tanta coisa em tão pouco tempo e ainda me confundo um pouco com tudo isto... Eu descobri que bonito não era o brilho de um carro novinho em folha mas sim o dos teus profundos olhos claros. Que felicidade não eram todos os luxos mas sim contemplar cada traço teu. E oh isso sim é um grande luxo!! Pensava eu que para preencher o coração e a mente era necessário apenas uma boa bebida e uma farra de noite inteira e olha não era. Agora encontrei-te e percebi que tu preenches os dois, deixando um a bater a mil e outro sem mais nada em que pensar a cada segundo. Oh, olha tudo isto que mudaste em mim. E como te agradeço por isso!



E ontem adormeci preenchido, mais preenchido que nunca, observei-te a adormecer aos poucos enquanto o brilho das estrelas tilintavam ali sobre nós. As tuas sardas também tilintavam no teu rosto, a encantar-me, cada uma delas a chamarem-me para junto de ti. E assim de leve com medo que acordasses passei a mão pelo teu rosto, tinha medo que despertasses, parecias tão sensível. Tão frágil que em mim surgiu a obrigação de cuidar de ti. Cuidar todos os dias, não te deixar cair, e caso acontecesse ajudar-te a levantar... Todos esses desejos surgiram e com tudo isso não consegui resistir e acabei por agarrar a tua mão como que numa tentativa de te agarrar para sempre. Era mesmo aquilo que pretendia mas com o teu consentimento. Como eu gostava que o fizéssemos juntos um dia...
Adormecemos ali na calmaria do som do mar e na profundidade do horizonte. Hoje acordei e percebi que tudo que sonhava nunca se poderia realizar. Estava ali eu no areal, mas sem ti. Tinhas ido embora esta manhã sem eu me aperceber. Posso dizer que uma lágrima me caiu do cantinho do olho mesmo que me custe muito a admitir. Caiu sim, senti a tua falta... A falta da tua mão. Mas oh não devia passar de um maluco para ti... Um maluco que se aproveitou para agarrar a tua mão... Não sou, acho que simplesmente conquistaste-me. Conquistaste-me no dia em que te vi  pela primeira vez. Quando te vi pelo reflexo da vidraça da loja, naquele dia em que o chocolate quente te fazia companhia para confortar, a companhia que eu gostaria de fazer um dia...
Mas vá eu não vou desistir, aliás parece que como que por sorte te esqueceste aqui do teu colar, e oh eu hei-de to devolver prometo. Alias prometo mais que isso, mesmo que não o saibas... Prometo não me esquecer de ti.

10 comentários:

Emilie Lorena disse...

Que lindo :') Dizes que eu consigo emocionar as pessoas mas tu tens o mesmo dom! Que lindo amor ele sente e é mesmo verdade, acabamos por mudar, por amor.

Ana Guerreiro disse...

maravilhoso!
adoro o blog, vou seguir!

joana ; disse...

Gostei do blogue, das imagens e dos textos. Sigo*

inês geraldes disse...

obrigadaaaa! e digo o mesmo, tão doce :')

inês geraldes disse...

de nada, linda :-)

lu de lúcia disse...

a sério? obrigada, também fico muito feliz em saber isso! que bom :')
sim o teu blogue é mesmo fofinho, tenho de vir dar cá uma olhadela mais a fundo.

lu de lúcia disse...

nada de tão bonito quanto o teu, acredita! gosto sempre de andar a procurar blogues. e o teu ontem cativou-me bastante :D e obrigada pelo carinho.

lu de lúcia disse...

de nada, não precisas agradecer :D

Tiz disse...

Desculpa-me, ando ausente de tudo :s
Gosto muito do texto, tal como gosto de ti maluca!
Tens um blog perfeito <3

déé disse...

Ainda só li duas partes mas já fiquei rendida :')