sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Ele para ela & Ela para ele VI (ela)


 
 
Já passaram dois dias desde que te deixei ali sozinho no areal. Tão inocente. Ali parado com mais encanto que a lua, mais brilhante que as estrelas, mais apaixonante que o mar... Hoje tenho o arrependimento entalado na minha garganta à minha custa. Tudo porque tive medo, porque vivo do medo, alimento-me dele para sobreviver a cada dia que passa. Tudo porque assim me acostumei.
Não poderia eu alimentar-me de paixão? Da nossa? Deves achar-me um ser pateta, uma rapariga vulgar ou mais certamente nem te lembras de mim. Evaporei assim num click da tua mente como eu da tua beira... Olha, estou aqui! Pensa em mim... Não te esqueças daquela noite ao luar, não te esqueças das nossas conversas simples e envergonhadas. Oh eu não te conheço, mas quero-te comigo...
Agora ando apática, sem significado, sem destino tal e qual antes de te conhecer. Agora é pela tua ausência. Preciso de ti. Desde aquele dia tenho andado em excessos em tudo o que faço, quando o único excesso que eu desejava eram os dias passados contigo. Tu não és culpado mas sim eu que me apaixonei.
Passei 48 horas fechada em casa a pensar nas nossas conversas, de nós a mirarmos as estrelas mesmo antes de cairmos num sono profundo, a primeira vez que te encontrei naquela paragem e a tua mão na minha. E oh, os passos. Ah, os teus passos em minha direcção! Tão ou mais melodiosas que as musicas de piano mais profundas que existem e que tocam em mim mais que sinfonias bonitas... Só queria voltar atrás no tempo, mudar o que fiz, ou pelo menos tentar remediar... Aliás foste tu sem saberes que me ensinaste a esquecer do passado, foste tu que me ajudaste a sorrir de novo, tu me aqueceste mais que o chocolate quente num dia frio de inverno. Foste tu que me disseste sem palavras que o mundo é lá fora e não dento quatro paredes, tu que fizeste ver que afinal vale a pena viver. E porque te contrariei? Só vale a pena se for por ti. Mas eu vou encontrar-te eu sei que sim e prometo que vou esforçar-me para que tudo seja diferente...

15 comentários:

lu de lúcia disse...

oh é um gosto para as duas. gostava de ter mais tempinho para te ler, mas ultimamente é muito complicado :$
obrigada pela força darling «3

joana ; disse...

Obrigada. Gostei deste, gosto do q escreves e de como escreves <3

Anónimo disse...

Cada palavra cada ponto do teu texto faz uma pessoa sorrir, pois parece tudo tão verdadeiro e tão romântico que faz uma seguidor teu emocionar-se !
Obrigado por este blog, já é algo importante na minha vida !


DM

Anónimo disse...

JÁ SABES O QUE ACHO DOS TEUS TEXTOS, PERFEITOOOS! amo mesmo, beijnhos, annasilva*

Emilie Lorena disse...

As memórias ficam e as batalhas continuam lá para vencer. Até a guerra ser declarada como perdida é tempo de recuperar o tempo :)

Obrigada pelo comentário querida :$

EBA ☮ disse...

Não é por vezes... apenas só podemos contar com nós próprios :s

EBA ☮ disse...

Não sei que textos maravilhosos estás à espera s:

EBA ☮ disse...

Estou farta de ninguém querer saber, ninguém se preocupar, ninguém nada -.-

joana ; disse...

Querida, nomeei-te para o Liebster Award. Se quiseres participar no desafio basta ires à pagina Liebster Award no meu blogue. Beijinhos*

EBA ☮ disse...

os meus textos são é umas perfeitas tretas $:

déé disse...

Obrigado querida :) vou ver se entretanto começo a escrever uma nova historia... E podes ter a certeza que vou ler as tuas **

déé disse...

Já li esta querida.. Estou a adorar **

déé disse...

Obrigado querida :$

sofia motta ∞ disse...

Olá, o teu blog foi nomeado para um Liebster Award!

aqui: http://sofiamotta.blogspot.pt/2012/09/liebster-award.html

love, Sofia (Oh La La Sophie!) ♥ ♥

Jéssica Pires disse...

Gostei, segui :)