sábado, 8 de setembro de 2012

Diário da Estrela X - (último)

recrystalize:

untitled by .Trevor Triano on Flickr.

Olá dor. Lembraste quando andavas convencida que me destruirias? Quando todas as tuas acções se direccionavam em me derrubar, e logo a seguir a isso me espezinhar? Lembraste de tudo o que provocaste, as palavras a que tiraste significado e dos caminhos de que me conseguiste desencaminhar?
Pensavas que eu ia ficar lá em baixo para sempre, que nunca me iria levantar. Que me iria deixar absorver por ti até deixar de respirar. Mas não. Sempre te julgaste a mais forte, uma grande guerreira mas não és. Tal prova são todos aqueles que te superaram, todos aqueles que dobraram barreiras guardando todas as lágrimas para si. Todos aqueles que apesar de olharem para trás e para o que te fez nascer continuaram a andar em frente. Todos aqueles que não desistiram. Eu não desisti tal como eles. E ao longo do percurso difícil fomos todos rebaixados, incompreendidos e mesmo assim não nos revoltamos, não culpamos ninguém. Porque? Porque somos mais fortes do que isso.
Por enquanto és tu que vais ficar aí em baixo, de preferência bem longe de mim. Não te quero de volta. Não posso permitir que me corrompas a alma, degrades o meu coração e destruas o pouco de bom que resta após o vendaval que provocaste. Desculpa mas se tentares regressar vou ser obrigada a destruir-te e para isso posso usar várias armas. Mas não tentes. Posso simplesmente usar a minha frieza e aí... Ah aí até tu vais fugir... Portanto mantem-te longe, não voltes, porque aqui só reina um sentimento que implica tantos outros que não prendem como tu. A liberdade.

4 comentários:

lu de lúcia disse...

que lindo. gostava de puder ter dito algo assim, algum dia!
tens mesmo de colocar as letras maiores, não faz bem ler assim :/

Daniela Castro disse...

oh é como tu doce ^^

EBA ☮ disse...

Oh, que querida $$: Mas não é nada de especial.. Eu gostava de aprender a esquecer, sinceramente s:

Jéssica Pires disse...

Obrigada querida :)