sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Indecisões


Ficou ali parada. Sem notar, enumerou o que via ali no meio de pessoas, no meio de histórias, personalidades, problemas, distúrbios, rotina. - Via tristeza, sorrisos disfarçados, prisão, escassez de imaginação, olhares cabisbaixa, pressa, mau humor, confusão, o dia a dia atribulado... - Acabou por sufocar, e disse-o tão rápido que a falta de ar impediu-a de se mover, obrigando-a a respirar profundamente para recuperar o fôlego.
Virar à esquerda, virar à direita, ir em frente ou dar meia volta e voltar para trás. Indecisão. Por mais que tente evitar em todos os caminhos encontrará obstáculos ou vidros estilhaçados, armadilhas bem preparadas, pessoas que se encontra e que ficarão mais cedo ou mais tarde para trás. Poucas serão aquelas em qualquer um dos percursos que ficarão do seu lado para a alertar, apoiar.
Começou a chover e ela mantem-se ali, intacta, como se fizesse parte da mobília da rua, ou como se fizesse parte da chuva. Apetecia-lhe correr por ali adiante, não parar, ser livre. Mas não o fez, tal como nunca faz quase nada do que pensa, nada do que diz, e em vez disso fechou os olhos e suspirou. E aquele suspiro durou longos segundos, tantos que se assemelhava a um pedido de socorro, um soar de desespero... Oh, a repetição começa a incomoda-la, os déjà vus já não a surpreendem assim tanto, e o mundo vazio começa a ter cada vez menos sentido. O subjectivo manda, o surreal completa-o e a indecisão... Essa anda sempre no meio daquela alma perdida sem saber o que fazer, e graças a ela, ali continuará especada, faça chuva, faça sol, venha frio, calor ou vento.

11 comentários:

Andreia Sofia disse...

o teu texto é lindo! gosto da tua maneira de escrever!
Bom fim de semana *

claire disse...

oh não sei como agradecer,muito muito obrigada!! adorei como descreves a indecisão, esta muito bonito

beatrizpereira disse...

tu escreves tão bem e usas as palavras com um sentido fantástico!

Ana disse...

Que post magnífico :o

beatrizpereira disse...

obrigada pelas palavras sweet, soube bem ouvi-las :)

Maggie Hippie disse...

Não tens de quê :D

Ana disse...

Obrigada Sofia :)

Ana disse...

Claro que tenho de agradecer querida :)

Cláudia Ribeiro * disse...

Muito muito obrigada! Ainda bem que te identificas :)

Cláudia Ribeiro * disse...

Oh, que querida! Achas mesmo?

Vanessa Silva disse...

O texto está mesmo querido ((:
sigo-te <3