domingo, 10 de fevereiro de 2013

Tu e o chocolate IV #

 
Hoje, para não variar, lá está ela a começar a escrever uma carta sem saber por onde começar. E quando isso acontece, deduzo logo que a esteja a escrever para ti. Porque sempre que é para ti - para além de deixar tudo de lado e o seu coração começar a acelerar - ou ela fica tão asfixiada de amor que não consegue falar, ou enche os pulmões de ar e as palavras de impulso para começar a soltar frases atropeladamente. Ou oito ou oitenta, será sempre assim. A procura do intermédio nunca lhe irá atender, mesmo que na sua pura inocência diga que o quer. Diz, mas não quer. Quer-te é a ti, somente tu e mais ninguém. Porque se tiver que escolher entre o exagero e o intermédio, não escolherá nenhum. Irá olhar para ti e suspirar e inventar a opção c) para dizer que é a ti que escolhe, porque tu és o exagero, porque és o amor, ou tu e ela são o amor, tu e ela são o exagero.
Sabes, ela costuma associar-te a tudo que não faz sentido e não tem explicação, e quando o faz é numa escala de contagem tão rápida que o milésimo de segundo torna-se um número insignificantemente banal. Será esta a escala do amor? Aquela que mede a arritmia descontrolada do coração, a sensibilidade desmedida da alma, a confusão dos sentidos? Só ela o sabe, mas já um dia me disseram ao ouvido '' doce, o amor não tem escala.'' Fiquei sem resposta. Pois bem, talvez seja mesmo um mistério. - '' Sabes, mistério maior é o que dizem os teus olhos ''- Já ela te disse sem que tu a tenhas ouvido, sussurrou-te ao coração. Sussurrou... E sabe que no fundo a ouviste. Bem lá no fundo o teu coração interiorizou-o porque afinal, ouvidos nunca seriam capazes do mesmo.
Sabes e ela tem sempre a tendência para tentar ler-te, ler os significados, ler-te os olhos e os gestos e até os tais mistérios que em ti existem, mesmo sabendo que podem ser milhares. Oh, ela ainda tem tanto para descobrir e para te dizer, e tu também, mas tu vais descobrir com o tempo, vão os dois, acredita em mim. E acredita também que apesar de tudo, vais ser sempre o seu maior motivo de orgulho.

2 comentários:

nês disse...

r: muito obrigada!
o teu texto está perfeito, adoro-o

nês disse...

r: de nada linda!