terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Seria mais fácil...


O olhar dele. Seria tão mais fácil de interpretar se fosse psicóloga e o olha-se desprovida de sentimento; Se ele fosse um mero desconhecido e todo aquele brilho fugaz fosse clinicamente possível de avaliar, nomear. A voz dele... Seria uma melodia simples de explicar se soubesse ao certo as notas da cantiga. Sabia canta-las, era um facto, mas somente do seu lado e, mesmo assim nunca descobriria o segredo dela e o porquê de não conseguir traduzi-la para notas sobre um papel. Era incrível. O jeito dele era incrível, cativante, viciante. Oh e os abraços dele. Os abraços dele seriam mais fáceis de soltar se nunca se tivesse envolvido na sua magia, se nunca tivesse estado presa. Presa na liberdade, se é que me faço entender. O abraço dele é como uma droga que faz com que se extinga a força de vontade para fugir daquele instante, daquele lugar, ou para fazer tantas outras coisas diferentes; É como ter o poder da liberdade nas mãos... Jamais a queremos soltar, não é? Queremos voar com ela. É... Ela voa naquele vicio, naquela droga sufocante de amor.
Que mais se pode querer quando se pode voar e amar? Ah, é por isso que nunca preferiu o caminho mais fácil.

6 comentários:

DE-PROPOSITO disse...

O olhar dele. Seria tão mais fácil de interpretar se fosse psicóloga
--------
Todos somos psicólogos. E por vezes mais psicólogos que os psicólogos.
--------
Que a felicidade ande por aí.
Abraço.
Manuel

disse...

o amor escolhe sempre os caminhos mais difíceis, as proporções mais estranhas e as pessoas mais fortes para lutarem por ele. um beijinho e adorei:)

catarina disse...

se é difícil é porque vale a pena meu anjo.

S ∞ disse...

adoro, escreves mesmo bem :) vou seguir*

disse...

obrigada princesinha, também és genial com as palavras:)

catarina disse...

complicadas, medrosas...enfim s: