quinta-feira, 17 de março de 2016

Serena


Serena. Assim se sente.
De pensamentos leves e coração brando. As noites têm sido calmas, a alma tem-se pousado na almofada em sonos profundos. As manhãs, apesar de atarefadas, vêm acompanhadas com um motivo, uma vontade, uma força que a permite arriscar, que a empurra porta fora para ver o sol, para olhar o mundo. E o mundo é tão bonito quando existe um motivo. Quando a escuridão não te enclausura.
No entanto toda a escuridão foi precisa um dia para se poder ver a luz, tal como a noite e o dia. Com ela também foi algo do género. O sombrio fez-lhe companhia por longas jornadas porém, hoje da-lhe descanso. Hoje sim, pode respirar ao descoberto, sentir o vento sem temer que uma face indesejada a prenda, olhar o mundo sem se sentir ameaçada pelos seus próprios pensamentos. Hoje não precisa de se esconder do mundo. Hoje não teme o mundo. Hoje é. Hoje pode ser, sem receios. 
Oh e assim me sinto... Serena.

7 comentários:

Pedro Sampaio disse...

Gostei, muito bem escrito :)

Amante Japonesa disse...

Adorei o texto (:

Mýa. disse...

uau, gostei de ler :)

Audrey Deal disse...

Ohhhh adorei ler!!! Escreves tão bem!!! beijinho enorme

Cláudia S. Reis disse...

E que essa serenidade não te abandone nunca mais!

Francisca disse...

que continues assim, Serena :)

Ísis disse...

Já te disse que tens um dom, não já? Adorei!!!