quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Os Corações são incoerentes e as Almas incertas


Os corações por vezes são incoerentes e as almas incertas. Por vezes a nossa mente desatina, saímos do alinhamento ideal, do idealmente correto. Por vezes duvidamos da nossa assertividade e a firmeza das nossas decisões fazem-nos tremer. 
Os corações por vezes são incoerentes e as almas incertas. Oh, e há sensações avassaladoras que nos dominam o intimo, toldam o equilibro, seduzem-nos a respiração.
Os corações por vezes são incoerentes e as almas incertas. Falo do magnetismo que há em nós, do paradoxo dos nossos passos.
O meu coração é incoerente e a minha alma incerta e todos os dias há em mim uma luta contra a monotonia, contra as normas, contra a rotina, contra a moderação. Em uníssono um ruído de fundo grita-me em oposição. 
Oh, e os corações por vezes são incoerentes e as almas incertas.

2 comentários:

Eros disse...

É a busca constante pelo equilíbrio num mundo de caos sensorial. Creio que o desenlace roga pela genuinidade dos passos em direcção ao que nos arrebata.

Ana Ferreira disse...

Será mesmo o mundo o caos? Ou nós próprios? Talvez os nossos passos sejam paradoxais, mas talvez seja a confiança neles que nos levam aos melhores destinos. Em direção ao que nos acorda as emoções.