sexta-feira, 20 de abril de 2012

Esmagada na chuva



''Ai, este mundo...'' e assim comecei o meu texto do dia, pronunciando estas palavras com a minha boca ao mesmo tempo que as arredondei com a minha letra desajeitada e as inspirei fortemente para não perder logo ali o fôlego. Continuei, ''Sim, este mundo que dá cabo de mim, cheio de pessoas hipócritas, falsas, que são tão boas a encarar personagens fictícias como eu sou boa a comer o chocolate. Elas compulsivas pela mentira e eu pelo chocolate. Esta bem, é justo não é? Ah, que orgulhosa que me sinto por ser assim...'' Suspirei, agarrei desta vez com força na caneta e soltei um sincero ''estou farta'', parei de novo e desta vez encostei-me a cadeira e fixei-me na janela, fixei-me no bater da chuva a bater no vidro, no seu som e inspirei '' Dás cabo de mim! Acho que neste momento nem deveria pensar em ti mundo, porque sinceramente quando o faço o meu coração abranda rapidamente como que uma espécie de ataque que se tem quando coisas menos boas acontecem e aquela minha respiração que estava acelerada por bons motivos é substituída por respiração estúpida e triste por pensar em pessoas. Pessoas que não valem a pena...'' Parei, e desta vez fiquei a pensar porque estava a escrever isto se nem uma palavra me parecia ter sentido, se quando acabava de escrever já outra perspectiva me inundava o pensamento, se pouco ou nada me fazia acreditar que algo iria mudar a atitude das pessoas, se escrever ou não iria influenciar algo ou alguém. Talvez a mim, sim faz-me bem pensei... Prossegui '' Já chega, estou farta, vai ser diferente a partir de agora, coração quente vai ser frio para quem o merecer, sorriso simpático vai ser sarcástico para quem o precisar, boa disposição vai ser agressividade para quem me desrespeitar. Acabou a brincadeira com os meus sentimentos, acabou de vez! '' Olhei para o que tinha escrito e espontâneamente esmaguei a folha no meio daquela lúgubre e assombrosa noite de sexta-feira ao som da chuva e ali fiquei olhando lá para fora encostada na cadeira bem embrulhadinha no cobertor enquanto comia o meu chocolate numa tentativa pateta de me acalmar. Por fim suspirei '' para quê ficar assim?  Vá rapariga, melhores dias virão. Vai ficar tudo bem '' E assim foi. E assim me convenci de que ia ficar tudo bem apesar de lá no fundo não acreditar...

15 comentários:

sophie disse...

http://www.facebook.com/photo.php?fbid=382888585089054&set=a.382786995099213.91159.264167150294532&type=3&permPage=1
Ajuda-me a ganhar, põe gosto e divulga pf!

Inês Geraldes disse...

Nunca mesmo!

Marta'Santos disse...

adoro a tua maneira de escrever doce<3

Ana Margarida disse...

Está tão bonito e, oh, há tanta gente que não vale a pena neste mundo.

Ana Margarida disse...

Também eu, minha querida. Importamos-nos e no final, saímos magoadas.

Ana Margarida disse...

É verdade, minha querida. Aliás, somos todos vitimas deste mundo.

- Susana . disse...

adoro*
novo capitulo, ve se gostas :)

Tiz disse...

eu sei, eu sei, obrigada por tudo, És FANTÁSTICA amiga, nunca te esqueças disso, mereces o MUNDO!

Ana Margarida disse...

Oh que grande verdade .. E, oh, não gosto nada disso.

- Susana . disse...

ohhh obrigada*

Marta'Santos disse...

tem tudo de especial querida** acredito que sim ;$

Tiz disse...

eu só mereço ser feliz :\

Ana Margarida disse...

Tens toda a razão. Mas olha que anda muita gente no mundo que parece não ter sentimentos.

Marta'Santos disse...

ó de nada fofita**

Ana Margarida disse...

Sim, a maioria deles é mesmo da segunda opção.