sexta-feira, 15 de junho de 2012

Ele para ela & Ela para ele IV - (ele)


Ele para ela

A medida que me fui aproximando dela o meu coração disparou ao mesmo tempo que me enchia de alegria. Era ela, a rapariga da semana passada. Aquela pela qual tenho vindo a suspirar todas os dias, aquela que me deixou perturbado, que me tirou da melancolia dos pensamentos vazios e que me fez vir aqui hoje. Estou com medo, o que será que vai pensar de mim? Logo eu que sou zé ninguem que vem a praia assim de noite. Ainda pensa que sou maluco. Tentar não custa não é? Mas e se ela foge mal me vir... Ai, estou com as minhas pernas a tremer e estes nervos não estão a ajudar nada... Não vou parar, não agora!  Estou em pé ao lado dela ha alguns segundos e não sei o que dizer. Sinceramente? Ainda estou a admira-la e oh os cabelos compridos dela brilham mais do que o reflexo das estrelas no mar. Vá, eu tenho mesmo de falar... E meu deus ela já está a olhar para mim com um olhar assustado... Vá, cá vou eu...
- Posso sentar-me aqui?.
- Sim podes, acho... - disse ela desconfiada.
 E ali me sentei e de novo  fiquei a olhar para ela.
-Tenho alguma coisa de estranho? - Perguntou-me com um ligeiro sorriso.
-Não, nada! quer dizer... 
- Então porque olhas assim para mim? - Disse ela sorrindo. E um sorriso tão lindo!
- Desculpa... É só que és muito bonita!
- Ah, obrigada... - Respondeu-me ela enquanto olhava para baixo. Oh ela ficou com as bochechas rosada como o algodão doce e até as sardas se fizeram sobressair!

Estamos agora deitados na areia a olhar para as estrelas... Já estamos aqui a cerca de 30 minutos desde que decidimos nos deitar para admira-las. Agora ninguém fala. As nossas palavras foram absorvidas pelas ondas do mar e agora o silêncio parece comprometedor... O que estará ela a pensar? Pensara mal de mim? Ainda agora nos conhecemos e eu preocupo-me com tudo. Oh, aqueles sintomas todos da primeira vez que a vi estão a voltar mas agora com mais intensidade. A verdade é que não consigo controlar a felicidade e deixar de pensar em todos os pormenores pequenos do que se passou até este momento. Mas tenho de parar, amanha penso nisso. Agora vou-me deixar aqui a apreciar o silencio ao lado dela que me parece dizer milhares de coisas e que apesar disso nenhuma delas eu sou capaz de decifrar. E como eu gostava de decifrar tudo isto. Como eu gostava de encostar a minha mão na dela assim levemente e que como por magia as nossas mãos se entrelaçassem... Mas tenho medo e não sou capaz de perceber. Não percebo o que se passa. Mas sabes? Vou ficar aqui...

3 comentários:

Tiz disse...

ADORO, ADORO, ADORO, ADORO. estou completamente viciada nesta tua história! Sempre que leio um post dela fico esperando ansiosamente pelo próximo e sabes? Se não escreveres rápido a parte dela eu esgano-te :)
Ly, linda <3

Mariana disse...

Adoro *-*
gostava que pudesses ver o texto que escrevi no meu blog, obrigada :)

Pudim-flan disse...

Estou a adooooorar!