sábado, 28 de julho de 2012

Diário da estrela VIII


O ''nós'' evaporou-se por entre as linhas do meu caderno, aprofundou-se no oceano das minhas lágrimas que se absorveram aos poucos sobre o papel. E o caderno já está gasto, rompido pelas mágoas, pelos sentimentos que insisti em escrever. O tempo que ele esteve ali pousado sobre o baú fez com que se acumulassem micro toneladas de pó. Partículas pequenas que com o ligeiro sopro se dispersam por todo o lugar e nunca mais se voltam a encontrar. Nós fomos assim. Dispersamo-nos e nunca mais nos encontramos.
Toda a dor ficou marcada ali no último lugar. O rancor ficou preso ali na ultima página. O destino conjunto ficou ali no banco do jardim que outrora fora lugar de sorrisos. O amor levou-o aquela gaivota naquela tarde de verão e esqueceu-se de voltar para o entregar... E as lembranças também ficaram ali, feitas rasto de algo que não volta mais. Tudo ficou ali por entre as folhas de papel, em cima de linhas certeiras sobrepostas por palavras incompreenssiveis. Ficou ali. Ficou tudo ali e nunca mais voltou. Nunca mais voltará.

5 comentários:

Anónimo disse...

Muito bom !
Parabéns

Moderator disse...

Olá, estou a fazer um concurso de blogues, se quiseres participar e/ou divulgar este é o link:
http://oblog-concurso.blogspot.pt/
Obrigada!

Tiz disse...

LINDO!
e olha, espero conquistar orações com o meu sorriso, porque neste momento o meu coração está vazio e eu já nem a solidão consigo sentir. Apenas me sinto a mim e isso é horrível.

caroline pipi disse...

oh, obrigada! tens um fundo lindíssimo!

Emilie Lorena disse...

Que texto lindo. Revi-me nas tuas palavras e senti-as como se falassem de mim. Escreves maravilhosamente! Continua, sempre :)

E obrigada pelo teu comentário :$