sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Silêncio da noite


Jorravam litros e litros do céu. Seria chuva? Engano meu, não era chuva, mas apenas lágrimas salgadas que ela libertava por alguma razão. Ah, e o céu... O céu não era nada mais nada menos, que a sua face nos seus dias nublados, talvez pela expressão triste e pelas olheiras que eram testemunhas de quem tinha andado por aí a derramar lágrimas sem rumo por alguns minutos, ou longas horas...
E ali encontrei-a, sentada, sozinha, à espera de encontrar resposta, ou que ela eventualmente com o vento, por algum motivo ali fosse ter... Azar o dela que não chegou. O vento não estava do seu lado, assim como são os poucos que têm estado ultimamente. Que estão e percebem, estão e não viram as costas quando um problema surge, que estão e que prometem e  conseguem cumprir. Hoje em dia escasseiam essas denominadas de boa gente. Mas pouca ''boa gente'' chega. E elas são o suficiente para que sorria um minuto por dia. E certamente também para que cubra algum desespero ou se distrai-a enquanto a realidade sombria não volta. Afinal, são os que a fazem acreditar que toda esta confusão da vida até vale a pena. E que, se talvez  não fossem esses ''poucos'' a ficarem, os ''muitos'' haviam de a consumir e derrubar definitivamente...
Hoje ela queria ficar na rua, deambular por entre lugares desconhecidos no frio da noite, senti-lo a entrar nos pulmões e soprar aquela bola de ar quente que se dispersa aos poucos no ar de cada vez que expira... Talvez o mesmo aconteça com a dor, disperse por aí. Talvez. Hoje não precisa de chocolate quente, nem de palavras boas, ou qualquer outra definição confortante. hoje ficará quieta, na companhia da mágoa, sentada no beco sem saída no silencio da noite, na calma das estrelas...

10 comentários:

Ana disse...

o teu texto está deslumbrante

Sentimentos Incontrolados disse...

O texto está muito bom.

Novo perfil. E nova URL:

http://sentimentosincontrolados.blogspot.pt/

C. disse...

Mas que irá passar, tudo passa!

Ana disse...

temos de pensar positivo :)

Sentimentos Incontrolados disse...

De nada Sofia :)

Ana disse...

Oh que doce, acho que ainda não o tinhas dito :)

catarina disse...

que lindo bb

Ana disse...

És tão querida *.*

Patricia Laranjeira disse...

que texto lindo! adorei!

C. disse...

Está lindooooo!