quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Mudada

Esta rapariga foi e vai sempre ser uma caixinha de surpresas, um mundo de mistérios, um aglomerar espontâneo de sentimentos.  Terá sempre um coração mole, demasiado mole para aqueles que não merecem nem nunca mereceram. Pena não conseguir ser de outra forma e à custa disso já ter cometido erros incorrigiveis, ter confiado em quem não devia, ter caído em poços sem fundo, ou somente fundos. Fundos demais... Nem sei. Só sei que graças a tudo isto, hoje ela vive com medo, medo de confiar, medo de arriscar. Porquê? Só porque o mundo teimou em desiludi-la, em quebrar a escassa confiança que já tinha. Hoje ela sucumbiu, assim como um poço de água pequeno evapora num dia quente de verão, assim como os bons desaparecem quando menos esperas, assim como... Ah, assim como a pessoa que ela era desapareceu.
É incrível como as pessoas mudam, incrível como antes julgava ser quem ia pelo caminho certo e hoje ter-se dado conta que é apenas alguém que virou na rua errada e que acabou por dar a um simples beco sem saída, alguém que não é capaz de virar as costas e voltar para trás. Espera... Talvez não dê para voltar atrás.
Olha para ela, ela não era assim... O que lhe foram fazer? Sabes, eu gostava bem mais quando ela pensava pouco e agia mais, quando ria mais e chorava menos. Fogo, porquê? O tempo vai passando e já nem se dá conta disso, aquela absorção está a tornar-se incontrolável, e não devia. Está a deixa-la fraca. Não deveria ser com o tempo que tudo passa? Assim deveria ser... Mas não é, e o relógio não pára, o tempo está a perder-se assim como a sua alma, assim como o seu mundo de mistérios, assim como o seu aglomerar espontâneo de sentimentos. Ah, não a deixes perder-se por favor.

6 comentários:

Cerejinha Mei@ Amarga disse...

Essa rapariga tem que encontrar alguma coisa que a faça feliz e a faça descontrair de novo. ;)

Cerejinha Mei@ Amarga disse...

A alternativa pode ser um profissional. O relógio não para e essa rapariga está a perder tempo precioso. Só vivemos uma vez e a tristeza não pode controlar a vida de ninguém. ;)
A rapariga que pense nisso!

ParadoxoSD disse...

vi parte do meu passado nesse texto... é triste, e acredita. é dificil. ela precisa de ajuda. talvez um bom ombro amigo seja o suficiente, talvez nao, depende de muita coisa. mas desejo sorte a essa rapariga e que seja forteª

Cerejinha Mei@ Amarga disse...

O profissional a que me referia era um psicologo. Ás vezes nada melhor que um empurrão de um profissional para a vida voltar aos eixos já que outros
factores não a conseguem ajudar.
Não tens que agradecer, a sério!

joana ; disse...

muito obrigada, querida!

inês geraldes disse...

obrigada lindaaaaaaaa :)