sábado, 16 de dezembro de 2017

A vida começa no momento em que aceitas aquilo que és


Desde cedo que a história não foi fácil. Repleta de mágoas e desgostos, de traumas e memórias que perduraram. Feridas que nunca sararam. Ah, quantas foram as vezes que por entre o desespero pensaste em desistir? Em ceder ou fugir? E muitas lágrimas caíram, no segredo, na ignorância. Ah, quantas vezes te sentiste perdida no universo? A flutuar no cosmos, a rastejar pelo tempo. E lágrimas caíram, no vago e em vão. Continuaste, com a força vinda de um local que até hoje não sabes explicar. E aqui estás. De coração remendado aprendeste a aceitar as cicatrizes. A sentir as emoções a percorrer as veias. A viver o infinito dentro de um corpo tão pequeno. Aceitaste, acreditaste que merecias melhor. Hoje o teu remendo é o remendo mais bonito do mundo. E a tua força é a força ''mais forte'' do eterno. E a tua alma é inquebrável, imparável. A vida começa no momento em que aceitas aquilo que és. E nesse momento renasces, no folhear de um livro, numa nota musical ou numa gota de chuva. Num olhar entrelaçado, num toque carinhoso e até num sorriso contagiante. Num pensamento confiante, numa raridade vibrante. Ah, e abres os olhos pela amanhã, olhas para o espelho e sabes, que a vida começa no momento em que aceitas aquilo que és.

2 comentários:

Eros disse...

Carpete Diem, doce Ana!
E um brinde a essa Assunção da tua Identidade! :)

Daniela Costa disse...

Isso é tão verdade!!
Beijinhos :)